quarta-feira, 8 de abril de 2020

Nota de Falecimento e Convite Sepultamento do senhor Francisco Leite da Silva( Chico de Firmino)


É com pesar que o Portal Nossa José da Penha, cumpre com o doloroso dever de comunicar o falecimento ocorrido na madrugada de hoje(08/04), no Hospital Regional de Pau dos Ferros do Senhor, Francisco Leite da Silva(mais conhecido por CHICO DE FIRMINO). O mesmo contava com 69 anos de idade. Deixa dois irmãos, três sobrinhos, madrasta Diomar e demais familiares.
O Corpo está sendo velado em sua Residência no sítio Mata de Cima. O seu sepultamento ocorrerá logo mais às 17:00 horas, saindo féretro para a o Cemitério Local. 
Desde já, a família agradece a todos que comparecerem a este ato de fé e solidariedade cristã.

Manifesto meus sentimentos de solidariedade rogando a Deus para que o acolha na glória celeste e dê o necessário conforto aos corações dos familiares.🙏

terça-feira, 7 de abril de 2020

Conheça as regras do benefício emergencial de R$ 600

dinheiro
Aprovado pela Câmara e pelo Senado, o auxílio emergencial de R$ 600 é uma renda emergencial básica por três meses para pessoas que ficaram sem rendimentos em razão da pandemia de Covid-19, como vendedores ambulantes, feirantes e outros trabalhadores informais.

O governo sancionou a proposta nesta quinta-feira (2), que se tornou a Lei 13.982/20.

Veja as regras do benefício, que deverá ser pago a partir do dia 10 de abril para quem está no Cadastro Único do governo, e no dia 16 para quem não está no cadastro.


Quanto cada família vai receber



- O benefício é de R$ 600 e limitado a duas pessoas de uma mesma família.

- A mãe chefe de família (sem marido ou companheiro) tem direito a duas cotas do auxílio, no total de R$ 1,2 mil
- Duas pessoas de uma mesma família podem acumular benefícios: um do auxílio emergencial de R$ 600 e um do Bolsa Família
- Quem receber o Bolsa Família e se encaixar no critério do benefício emergencial, vai receber o que for maior.

Quem pode receber


1) O candidato deve cumprir todos estes requisitos:

- ser maior de 18 anos de idade
- não ter emprego formal
- não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família
- renda familiar mensal por pessoa de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135,00)
- não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70

2) Além disso, é destinado a quem se encaixa em uma dessas condições:
- exerce atividade na condição de microempreendedor individual (MEI)
- é contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS)
- é trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico)
- se não pertencer a nenhum cadastro, é preciso que, no último mês, a renda familiar mensal por pessoa tenha sido de no máximo meio salário mínimo ou a renda familiar mensal total tenha sido de até três salários mínimos

Inscrição para receber o benefício


- A forma de inscrição para quem não está no Cadastro Único ainda não foi divulgada. O ministério alerta para ninguém procurar os bancos oficiais por enquanto nem passar dados pessoais para ninguém, para não ser vítima de golpe. A forma de inscrição será divulgada oficialmente e será feita pela internet.


Como o governo vai verificar o candidato


- A renda média será verificada por meio do Cadastro Único, para os inscritos. Quem não é inscrito no cadastro fará uma autodeclaração em plataforma digital (pela internet), e o governo fará todos os cruzamentos possíveis utilizando o CPF (para quem tem)

* Na renda familiar serão considerados todos os rendimentos obtidos por todos os membros que moram na mesma residência, exceto o dinheiro do Bolsa Família


Como será o pagamento


- O auxílio emergencial será pago por bancos públicos federais por meio de uma conta do tipo poupança social digital

- Essa conta será aberta automaticamente em nome dos beneficiários, com dispensa da apresentação de documentos e isenção de tarifas de manutenção
- A pessoa poderá fazer ao menos uma transferência eletrônica de dinheiro por mês, sem custos
- A conta pode ser a mesma já usada para pagar recursos de programas sociais governamentais, como PIS/Pasep e FGTS
- Os bancos são Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste. Também podem ser utilizadas para o pagamento agências lotéricas e agências dos Correios

Reportagem - Francisco Brandão
Edição - Wilson Silveira
Fonte: Agência Câmara de Notícias


Isolamento social e consumo consciente: como a população pode contribuir?

O
Governo do Rio Grande do Norte vem realizando inúmeras ações para reduzir o contágio pelo novo coronavírus, através de decretos com medidas restritivas quanto a circulação de pessoas nas ruas e estabelecimentos comerciais. Com o isolamento social, muitos questionamentos surgem, e um deles se trata de como o consumo consciente pode ajudar neste período.
A população também busca maneiras para tentar se adaptar ao momento. Além de medidas voltadas para a prevenção do contágio pelo COVID-19, as pessoas estão procurando maneiras que possam auxiliá-las a enfrentar o momento de ficar em casa a maior parte do tempo. Entretanto, para que tal medida não produza impacto negativo ao meio ambiente e na qualidade de vida, é necessário refletir sobre como estamos, de fato, escolhendo as melhores alternativas no dia a dia.
O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, por meio da Subcoordenadoria de Planejamento e Educação Ambiental (SPEA), ressalta a importância do consumo consciente e do papel da educação ambiental não apenas neste período de pandemia. “A maneira como utilizamos nossos recursos naturais, administramos nossas rotinas e realizamos nossas tarefas pensando no meio ambiente diz muito sobre nós. Reavaliar nossos hábitos é uma transformação positiva pelo simples fato de ser a ligação entre a humanidade e o respeito ao planeta em que habita”, disse a coordenadora da SPEA, Iracy Wanderley.
Como grande parte da população está em casa, a tendência é que um grande número de pessoas busquem, também, opções que proporcionem o máximo de conforto e praticidade, consumindo mais produtos. Iracy Wanderley fala que esse excesso de consumo pode trazer impactos ambientais negativos. “Na questão do meio ambiente, há um aumento na produção de resíduos sólidos, de plástico, e é preciso ter cuidado, pois para cada ação existe uma reação. Não podemos ampliar ainda mais os níveis de contaminação desenfreada dos mares por plástico, por exemplo”, pontuou.
De acordo com a coordenadora, o consumo consciente é importante nesse momento e fundamental para a vida em coletividade. “Esse momento é novo para toda a sociedade e juntos precisamos criar maneiras de repensar nossa conduta diante do que consumimos e de que forma consumimos, sempre pensando no coletivo e nas respostas que nossas ações implicam ao meio ambiente como um todo”, disse.
Ainda de acordo com a coordenadora, a educação ambiental é essencial nesse processo e é importante que as pessoas relembrem e reavaliem a relação de interdependência com o meio ambiente. “Fazemos parte dele e é dele, onde retiramos o nosso sustento para a vida, como o ar, a água, o solo, recursos necessários para nossa sobrevivência. A grande importância de cuidar desse meio é que cuidando desse meio, estou cuidando de minha própria vida, por isso a necessidade de termos uma relação harmônica. A equação não é fácil, mas é possível”, relatou Iracy.
O diretor geral do Idema, Leon Aguiar, destaca a importância de pensar sobre os produtos, serviços e alimentos que adquirimos, uma vez que essa pandemia afeta diretamente toda a cadeia produtiva. “Além do comprar produtos, é importante lembrar dos serviços essenciais, como eletricidade e água, que precisam ser usados com responsabilidade, já que a população que está em casa, tende a utilizar mais esses recursos. Por exemplo, já que a recomendação é lavar bem as mãos, enquanto estiver lavando ou escovando os dentes ou tomando banho, que mantenha a torneira fechada, assim como durante o dia, tentar aproveitar ao máximo a luz natural para economizar energia”, pontua.
Abaixo seguem algumas formas de como praticar o consumo consciente no dia a dia:
Evite comprar alimentos e outros tipos de produtos enlatados em excesso;
Evite utilizar muita água ao tomar banho, lavar roupas, escovar dentes, lavar alimentos e mãos;
Aproveite a luz natural! Abra bem as janelas e deixe o sol entrar;
Reutilize embalagens de produtos;
Faça uma horta. Os supermercados nesta época acabam ficando cheios e desabastecidos;
Antes de comprar, verifique se as empresas demonstram preocupações sociais e ambientais;
Utilize sacolas retornáveis;
Dê preferência ao consumo de produtos orgânicos;
Separe o lixo e leve essas dicas para além do período de isolamento social.
Fonte:AgoraRN 

SME disponibiliza portal para professores e alunos durante suspensão das aulas


Página oferece sugestões de links com atividades lúdico-educativas sem caráter de conteúdos, visando uma aprendizagem complementar


Secretaria Municipal de Educação de Natal disponibiliza, a partir desta terça-feira (7), uma plataforma digital para professores e gestores da Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos, na perspectiva de auxiliar estudantes e familiares a vencerem esse momento de isolamento social. Todo o conteúdo está disponível no SITE. A página oferece sugestões de links com atividades lúdico-educativas sem caráter de conteúdos, visando tão somente uma aprendizagem complementar.
Segundo a titular da Secretaria Municipal de Educação, professor Cristina Diniz, “as atividades não substituirão os dias letivos, a carga horária do aluno, pois não se caracterizam como aulas on-line. As sugestões de atividades visam uma ação a ser compartilhada entre professores e alunos de forma que os responsáveis pelo aluno possam interagir com ele sob a forma de vídeos, histórias, músicas, jogos educativos”, adianta a Secretária, explicando que o aluno não pode ser penalizado caso não tenha como realizar as atividades encaminhadas pelos professores, pois são atividades complementares e não se constituem carga horária obrigatória.
Em relação à Medida Provisória do Governo Federal que mantém o calendário letivo com uma carga horária mínima de 800 horas, reduzindo, no entanto, os dias letivos, a professora Cristina Diniz, esclarece que “ainda é prematuro afirmar como resolver essa questão, considerando que nossas unidades escolares não têm condições de trabalhar no contraturno com o mesmo número de alunos. Essa análise se dará depois, após discussão com os Conselhos de Educação, assessores da SME, gestores, professores e pais”.
A modalidade de EAD é outra preocupação da Secretaria de Educação de Natal, pois os alunos não estão familiarizados com esse tipo de ferramenta, pois, como afirma a Secretária adjunta de Gestão Pedagógica, professora Ednice Peixoto, “nem todos os alunos têm acesso à internet, tampouco seus pais estão disponíveis a auxiliá-los, pois necessitam trabalhar. Outra questão que a EAD provoca é o quanto esta modalidade deixará alunos de fora da aprendizagem, pois apresentam ritmos e níveis de aprendizagens diferentes, não podendo a Secretaria legitimar ações que promovam desigualdade”.
Em relação às atividades que alguns professores estão encaminhando aos alunos, a Secretaria Municipal de Educação recomenda que não sobrecarreguem o aluno com atividades de conteúdos que requeiram pesquisas, leituras extensas, exercícios que demandem correções e que não procedam a avaliações, que considerem a dinâmica familiar do aluno, cuja rotina foi alterada, pois muitos pais estão em suas atividades laborais, inclusive, na economia informal.
AgoraRN

RN tem 8 mortes por coronavírus e 254 casos confirmados, afirma Sesap


Saúde ambiental: coronavírus reflete um desequilíbrio ...
O Rio Grande do Norte tem 8 mortes por Covid-19, 254 casos confirmados da infecção, além de 2.430 suspeitos e 809 descartados. Os dados foram atualizados no fim da manhã desta terça-feira (7), pela Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap).
A oitava morte confirmada diz respeito a um dos quatro casos que estavam sob investigação no estado. O óbito foi registrado no município de São Gonçalo do Amarante, na região Metropolitana de Natal.
Na atualização feita pela Secretaria nesta segunda-feira (6), o estado registrava 2.363 casos suspeitos e 246 confirmados. Até então, 7 mortes haviam sido registradas por infecção provocada pelo novo coronavírus.
Projeções
O sistema de saúde – público e privado - do Rio Grande do Norte pode entrar em colapso no dia 2 de maio, com uma estimativa de 157 mil pessoas infectadas pelo novo coronavírus. A projeção foi apresentada à imprensa pela Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap) no final da manhã desta terça-feira (7).
A Secretaria apresentou três cenários projetados, que envolvem a disseminação da doença como forma de gerar imunidade para a população (inação); medidas para conter o aumento da infecção (mitigação); e isolamento absoluto (supressão).
O RN tem adotado a mitigação, com o fechamento de escolas, bares e outros serviços. Esse cenário previa um número de mortos por Covid-19 que oscilaria entre 4 e 10 até o dia 5 de abril. Atualmente o estado registra 8 mortes por causa da infecção.
Isolamento Social
Durante a apresentação dos dados atualizados nesta terça, a Sesap reforçou a necessidade de a população seguir as regras de isolamento estabelecidas via decreto pelo Governo do Estado como forma de enfrentamento à pandemia e alertou que o momento mais crítico no RN está projetado para acontecer nos próximos 14 a 21 dias.
Ainda durante a coletiva, a Sesap informou que 1,2 mil leitos de UTIs (Unidade de Terapia Intensiva) e 10 mil leitos de enfermaria devem integrar os sistemas de saúde público e privado do estado como medida para conter o avanço da infecção.

AgoraRN

Coronavírus: Sesap projeta 157 mil infectados no RN e colapso da Saúde em 2 de maio


Uma projeção da Secretaria Estadual de Saúde, incluindo subnotificações, estima 157 mil pessoas infectadas no Rio Grande do Norte no dia 02 de maio.
A Secretaria Estadual de Saúde(Sesap) informa que se confirmada, a projeção resultará no colapso da rede estadual de saúde.  Mais detalhes aqui.
Com informações da Tribuna do Norte

segunda-feira, 6 de abril de 2020

Estudante de medicina do campus da UFCG de Cajazeiras que lutava contra câncer, morre aos 28 anos

O estudante do curso de medicina, do campus da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), em Cajazeiras, Júlio César Jales, de 28 anos, faleceu neste domingo (05), em um hospital de Mossoró, no Rio Grande do Norte, em decorrência de um câncer.
Júlio Jales era natural da cidade de Messias Targino-RN, cursava o quinto período de medicina no Centro de Formação de Professores (CFP) do campus da UFCG de Cajazeiras e era muito querido pelo colegas.
O diretor do campus da UFCG, o professor Antônio Fernandes divulgou uma nota de pesar e decretou luto oficial de três dias ”em nome de toda comunidade acadêmica”.
Nas redes sociais, muitos lamentaram a perda.

Fonte: Diário do Sertão


 

ESTADOS E MUNICÍPIOS DEVEM DECIDIR COMO CUMPRIR CALENDÁRIO ESCOLAR

O governo federal publicou nesta semana a medida provisória (MP) que permite que as escolas tenham menos de 200 dias letivos no ano, desde que garantam, no mínimo, 800 horas de ensino na educação infantil, no ensino fundamental e no ensino médio. A flexibilização deverá observar as normas dos respectivos sistemas de ensino, ou seja, estados e municípios devem decidir as regras para o cumprimento da jornada mínima.
A MP trouxe respaldo legal para o que as redes de ensino já vinham fazendo, de acordo com a presidente do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), entidade que representa as secretarias estaduais de educação, Cecilia Motta.
“Isso vai dar uma liberdade maior para quando os alunos voltarem. Podemos, mais à frente, colocar um sexto tempo, usar alguns sábados letivos com sexto tempo também. Ao mesmo tempo, podemos contar com as nossas aulas remotas vinculantes que estão contando como aulas realmente no calendário escolar", disse Cecília.
Os estados são responsáveis, principalmente, pela oferta do ensino médio. Eles também ofertam os anos finais do ensino fundamental, etapa que vai do 6º ao 9º ano.
O Consed reuniu, em uma página da internet, as resoluções, pareceres, instruções normativas e notas de esclarecimentos do Conselho Nacional de Educação, da União Nacional dos Conselhos Municipais de Educação e dos Conselhos Estaduais e Municipais de Educação, sobre o calendário escolar e a oferta de conteúdos a distância.
Ensino a distância
A desigualdade entre as várias regiões do país e entre os vários estudantes brasileiros preocupa na hora de substituir as aulas presenciais por aulas a distância. Por isso, a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) defende que, no processo de reorganização do calendário escolar, é necessário, primeiramente, esgotar todos os esforços para cumprir as 800 horas de maneira presencial.
Para isso, as redes podem, após o retorno as aulas, ampliar a jornada diária, realizar atividades no contraturno, ter sábados letivos, usar de períodos de recesso e/ou férias - após negociação com a categoria, entre outras alternativas.
A entidade defende que, caso seja feito o uso da modalidade de educação a distância como substitutiva às aulas presenciais, sejam garantidos "suporte tecnológico, metodológico e de formação dos professores, por parte da União e dos governos estaduais às redes municipais”.
Por lei, a educação a distância pode ser feita no ensino médio e, em situações emergenciais, como durante a pandemia do covid-19, no ensino fundamental.  A MP publicada nesta semana não trata da educação infantil, que compreende a creche e a pré-escola. A Undime defende que a EaD não seja aplicada nessa etapa.
Escolas particulares
Para as escolas particulares, de acordo com o presidente da Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep), Ademar Batista Pereira, a medida facilita o planejamento. “Fomos autorizados a voltar a trabalhar, não precisaremos sacrificar os sábado, podemos nos preparar para continuar a vida escolar”, afirmou..
Segundo ele, a pandemia está sendo uma oportunidade para “aprender a usar algumas ferramentas para as quais havia resistência. Não vão substituir de forma definitiva o ensino presencial, mas vão permitir fazer algumas coisas que são possíveis fazer, levando em consideração a idade das crianças.”
Em nota, o secretário de Educação Básica do MEC, Janio Macedo, afirmou que a flexibilização é autorizativa “em caráter excepcional e vale tão e somente em função das medidas para enfrentamento da emergência na saúde pública decretadas pelo Congresso Nacional”. Ele reforça que a flexibilização deverá observar as normas dos respectivos sistemas de ensino.
No Brasil, há suspensão de aulas em todos os estados para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A medida não é exclusiva do país. No mundo, de acordo com os últimos dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que monitora os impactos da pandemia na educação, 188 países determinaram o fechamento de escolas e universidades, afetando 1,5 bilhão de crianças e jovens, o que corresponde a 89,5% de todos os estudantes no mundo. 

GOVERNO BOLSONARO INVESTE R$ 1 BILHÃO E COMPRA 15 MIL RESPIRADORES

O Ministério da Saúde adquiriu 15 mil respiradores mecânicos, no valor de US$ 13 mil cada, com investimento de R$ 1 bilhão. Após a assinatura do contrato, no final de março, a empresa tem até 30 dias para entregar os equipamentos no Brasil. Os ventiladores ajudam pacientes que não conseguem respirar sozinhos e seu uso é indicado nos casos graves de coronavírus (Covid-19), que apresentam dificuldades respiratórias. 

O Ministério da Saúde também tem mantido diálogo permanente com produtores brasileiros de respiradores para garantir a oferta no país.  “Também  temos produção nacional. Contratamos respiradores que vão ser produzidos no Brasil. 

Essas empresas vão começar a fazer entregas semanais. Vamos ficar com esses respiradores no nosso centro de distribuição e o alocaremos rapidamente nos locais que tiverem necessidade porque a capacidade instalada chegou perto do seu limite. Se houver diminuição de pacientes nestes locais, poderemos transferir os equipamentos de um local para o outro, na medida em que for necessário", explicou o Secretário-Executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

Nos casos graves, a Covid-19 pode provocar pneumonia, produzindo um processo inflamatório que atinge os pulmões, fazendo com que os pacientes percam a capacidade respiratória e, portanto, necessitando de suporte ventilatório. Assim, os respiradores, ou ventiladores, são fundamentais para tratar casos graves e gravíssimos da doença. Normalmente, esses equipamentos estão disponíveis apenas em leitos de unidades de terapia intensiva (UTI).

Atualmente, o Brasil possui cerca de 65 mil respiradores, sendo que pouco mais de 46 mil estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS).

O Ministério da Saúde está adquirindo ainda leitos de UTI volantes, que podem ser instalados rapidamente na rede pública de saúde para enfrentamento da emergência do coronavírus sempre que houver necessidade. Nestes leitos, estão incluídos mais respiradores para ajudar na recuperação de pacientes.

Fonte: Portal Grande Ponto 

PRÓXIMO PRESIDENTE DO TSE ADMITE ADIAR ELEIÇÕES PARA DEZEMBRO, MAS DIZ QUE PALAVRA FINAL É DO CONGRESSO

Próximo de assumir o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barrroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), disse considerar prematuro o debate sobre cancelar a eleição municipal por causa da crise do coronavírus, mas admite a possibilidade de um adiamento de outubro para, no máximo, dezembro. Em nota, Barroso afirmou ser contrário a deixar a escolha de novos prefeitos e vereadores para 2022, mas ressaltou que a palavra final deve ser dada pelo Congresso, a quem caberia a aprovação de uma emenda à Constituição.
 

Coronavírus: Doria amplia quarentena em São Paulo até 22 de abril

Por conta do avanço do novo coronavírus, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta segunda-feira, 6, que vai ampliar a quarentena nos 645 municípios paulistas por mais 15 dias, até 22 de abril, sem flexibilização. As medidas de isolamento começaram no estado no dia 24 de março e teriam validade até esta terça-feira, 7.
As definições foram discutidas em uma reunião técnica do Centro de Contingência do Coronavírus em São Paulo nesta manhã, que contou com o retorno do infectologista Davi Uip, recuperado após ter contraído a covid-19. O anúncio foi feito em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes.
Em depoimento, Uip fez um depoimento sobre “quem esteve do outro lado”. “Quem vai sair vivo são os indivíduos que estiverem sendo atendidos em instituições bem estruturadas”, sustentou.
Antes de anunciar a ampliação da quarentena, Doria levou alguns dos médicos do Centro de Contingência contro o Coronavírus para falar sobre as questões técnicas e científicas para a importância da quarentena.
“Não pauto minhas ações por populismo, pauto minhas ações pela ciência e pela opinião médica”, disse Doria, acrescentando que “nós vamos proteger vida, nós vamos tratar de salvar vidas. Depois de salvar vidas, vamos salvar a economia”.
A quarentena em SP fechou serviços não essenciais, como bares e restaurantes, e o comércio. Desde então, só funcionam os considerados essenciais, como farmácias e supermercados.
Há pressão de varejistas para o retorno das atividades, bem como do próprio presidente Jair Bolsonaro, que tem pedido para os trabalhadores “voltarem à atividade”. No entanto, o governador de São Paulo tem sido firme na defesa da necessidade do isolamento social para conter a propagação do vírus.
“Destaco que há consenso entre as autoridades médicas sobre o isolamento como forma de salvar vidas. Não são apenas as autoridade brasileiras. É a OMS, médicos, profissionais e agentes de saúde da maioria dos países do mundo”, afirmou.
Ele citou, ainda, que, no Brasil, defendem o isolamento, “o ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, o ministro da Justiça, Sergio Moro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, o vice-presidente da república, Hamilton Mourão, o Centro de Estudos do Exército Brasileiro, e repito, a maioria absoluta de médicos e cientistas”.
“Estão todos errados? Será que um único presidente da república do mundo é o certo?”, questionou Doria durante a coletiva.
Na data do primeiro decreto de quarentena, o estado paulista tinha 810 casos confirmados da doença e 40 mortes. Hoje, há 4.620 pacientes com a doença confirmada e 275 óbitos em São Paulo.
Segundo o secretário de Saúde, José Henrique Germann, sem as medidas de isolamento, a estimativa do governo era de um resultado dez vezes pior do que o cenário de agora.